BOOK PGR
Riscos Físicos – Ruído

Risco Físico – RUÍDO é o principal risco em ambientes de trabalho industrial. 

O ruído é um conjunto de vários sons não coordenados (frequências diferentes) que causam incômodo, desconforto e afetam a saúde dos colaboradores

banner formulanegocioonline 300 7 - Riscos Físicos - Ruído

Classificação de Ruído

a) Ruídos contínuos – são aqueles cuja variação no nível de intensidade do som é muito pequena em função do tempo. Exemplos: prensar, máquinas de corte, envasadoras, embaladoras, carros, caminhões, empilhadeiras, escavadeiras, rolos vibratórios, ventiladores, furadeiras, esmeriladeira

b) Ruídos intermitentes – aqueles que apresentam grandes variações de nível em função do tempo. Eles são os tipos mais comuns. Exemplos: brocas, moedor.

c) Ruídos de impacto – apresentam altos níveis de sonoridade, em um tempo muito curto. Estes são os ruídos de explosões e impactos. Eles são característicos dos bate-estaca, prensas, etc.

Doenças Causadas pelo Ruído

A perda auditiva devido ao ruído(PAIR), geralmente é produzida pela exposição do trabalhador a ambientes ruidosos (de natureza progressiva) e se manifesta após muitos anos de exposição.

Para realizar o monitoramento biológico, é importante realizar testes audiométricos, além de medidas educacionais, como orientação e conscientização, sobre as medidas de controle.

Trabalhadores que não utilizam o protetor auricular acabam tendo perda auditiva temporária ou permanente, e também, tendo problemas no sistema nervoso, produzindo fadiga, hipertensão, perda de memória, perda do libido, irritabilidade etc. 

protetor auricular - ruído
protetor auricular - ruído 2

TIPOS DE SURDEZ

Hipoacusia ou disacusia – Audição diminuída.

PAIR – Perda Auditiva Induzida pelo Ruído (Ocupacional) – É surdez de percepção, podendo ser temporária ou permanente.

Surdez leve – Ainda se pode ouvir normalmente a voz humana.

Surdez moderada – Necessário a utilização de prótese auditiva amplificadora.

Surdez grave – Audição muito difícil.

Surdez total – Também chamada de Anacusia.

Limites de Tolerância do Ruído

Limites de tolerância do ruído referem-se a níveis de pressão sonora e duração da exposição, que representam condições sob as quais se acredita que quase todos os trabalhadores podem ser expostos repetidamente, sem afetar adversamente sua capacidade de ouvir e entender a fala normal.

Os valores devem ser usados como um guia no controle da exposição ao ruído, e devido à conformidade individual, não devem ser considerados 100% seguros para o trabalhador.

 Observe que o limite de tolerância para ruído não protegerá todos os funcionários contra os efeitos negativos da exposição ao ruído. Pois,  proteger a parte da população contra perda auditiva induzida por ruído por exposição ocupacional.

tabela nr-15 anexo 1 ss

O critério de referência que suporta os limites de exposição diária adotados para ruído contínuo e intermitente corresponde a uma dose de 100% para uma exposição de 85 dB em 8 horas (A).

Os tempos de exposição aos níveis de ruído não devem exceder os limites de tolerância estabelecidos na tabela ao lado.

As atividades ou operações que exponham os trabalhadores a níveis de ruído, contínuo ou intermitente, superiores a 115 dB(A), sem proteção adequada, oferecerão risco grave e iminente.

Avaliação e Monitoramento

a) Método ambiental qualitativo – destina-se apenas a detectar a presença do agente no ambiente, com ou sem o uso de ferramentas de detecção.

b) Método quantitativo ambiental – Tem como objetivo quantificar o fator no ambiente utilizando instrumentos de medição.

c) Monitoramento biológico – visa detectar os efeitos de fatores no corpo humano, utilizando exames médicos e dados estatísticos.

Para Ruído contínuo ou intermitente, o nível de pressão sonora deve ser determinado por um medidor de nível sonoro ou um dosímetro. 

Recomendo que seja utilizado  dosímetro de ruído(medidor integrado de uso pessoal) para a determinação da dose de exposição ao ruído, pela maior precisão e confiabilidade dos resultados. A utilização do medidor instantâneo não refletem a realidade das intensidades do agente nas frentes de trabalho.

Neste caso o limite de exposição ocupacional diário ao ruído contínuo ou intermitente correspondente a dose diária igual 100%.

O nível de ação para a exposição ocupacional ao ruído é de dose diária igual a 50%.

Medidas de Controle do Ruído

Quando os trabalhadores são expostos a ruído acima dos limites de tolerância, um Plano de Conservação Auditiva(PCA) deve ser implantado, incluindo todos os elementos do teste auditivo, treinamentos, escolhas mais EPI e monitoramento ambiental por meio das medições.

As medidas que deverão estar contemplada no Plano de Conservação Auditiva(PCA) como ações de prevenção são:

  1. Ações que eliminam ou reduzem o uso ou a formação de agentes nocivos à saúde.  Assim, podemos citar como as principais medidas: a Eliminação de ruídos com a manutenção das máquinas e equipamentos; troca de maquinário outras mais modernas e menos ruidosas; e Instalação de amortecedores acústicos em partes ruidosas.
  2. Medidas que impedem a liberação ou disseminação desses agentes no ambiente de trabalho. assim sendo, podemos citar como medida a remoção de obstáculos que refletem o som,
  3. Ações que reduzem os níveis de intensidade do agente no ambiente de trabalho, com a instalação de telas e revestimentos acústicos.
  4. Medidas de natureza administrativa ou de organização do trabalho. Podemos citar como exemplo o Revezamento ou distanciamento dos postos de trabalho das fontes ruidosa e a Restrição de acesso à área com este agente.
  5. Uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) – Protetores auditivos individuais.
 

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.